O que é a Leitura Dinâmica?

A leitura dinâmica (também conhecida como leitura rápida) é constituída por vários métodos que visam aumentar a velocidade de sua leitura, porém mantendo a compreensão e a retenção das informações lidas.

Existem diversos métodos diferentes de leitura dinâmica. Algumas pessoas entendem que o processo de leitura consiste em 3 etapas.São elas: ver, pronunciar e compreender. Eles então sugerem que se elimine uma das três etapas. Em suma, para que mantenhamos o entendimento do texto lido, a única das etapas citadas anteriormente que poderíamos eliminar é a pronúncia, seja ela mental ou vocal.

Alguns programas utilizados para acelerar a leitura utilizam um treinamento que consiste basicamente em que os leitores seguissem com seus olhos os objetos que estivessem em movimento numa tela.

Leitura de grupos de palavras é uma das técnicas utilizadas, em vez da leitura de uma palavra por vez; outra técnica é o alinhamento do texto, de forma isto facilite a varredura dos olhos pelo texto sem que os mesmos precisem se deslocar muito de um lado ao outro, que também é conhecido como “texto em coluna estreita”, e o salto de olho, pelo qual o usuário estabelece pontos específicos na linha de leitura nos quais irá fazer uma parada ocular.

Nosso cérebro trabalha de forma compatível com os estímulos que ele recebe. Se uma pessoa durante vários anos lê de forma lenta, seus estímulos sempre foram enviados para ao cérebro em uma velocidade muito baixa, e com isso o cérebro também responde da mesma forma.

O que acontece na leitura dinâmica é que esses estímulos são enviados ao cérebro de forma mais rápida, acelerando velocidade do raciocínio e da compreensão do texto lido.

É muito importante utilizar-se de um metrônomo para calcular o tempo gasto na leitura. Desta forma, você poderá estabelecer uma meta para que possa cumprir em um determinado tempo, e isso pode ajudá-lo a diminuir o tempo de sua leitura de forma gradativa. Sugerimos para os usuários que possuem dificuldades na leitura de vinte linhas por minuto, que devem dar muita importância à respiração e a postura. Para os leitores que já possuem o hábito da leitura, podemos sugerir um tempo de quarenta toques do metrônomo por minuto, e aos poucos, podendo ir ao dobro desse valor (isso para as pessoas já treinadas).

Cento e cinquenta toques por minuto seria uma velocidade considerada a do leitor mais rápido do mundo, em se tratando da língua portuguesa.
Existe também um método chamado Skimming, que é um método de leitura dinâmica muito utilizado. O mesmo baseia-se na procura visual de frases em uma determinada página, para que assim se possa encontrar “pistas” para o seu significado. Isso para alguns leitores é até normal, mas é uma aptidão que geralmente é adquirida pela prática.

Em adultos o skimming é muito mais frequente. Ele é realizado em uma velocidade bem elevada, de cerca de 700 palavras por minuto, ou mais, em relação a da leitura normal para a compreensão de textos, que é de cerca de 200 a 230 palavras por minuto, e que normalmente resultará em taxas baixas de compreensão do texto, principalmente em textos ricos de informações de leitura.
Uma outra variedade do skimming é largamente utilizada pelos internautas. Se trata de pular sobre os textos que são menos interessantes ou de menor relevância. Este modelo de leitura não é novo, porém se tornou muito usado devido à facilidade com que as informações chegam até nós de forma online.

É bom lembrar que é sempre necessário praticar-se os exercícios de leitura dinâmica para que com isso, sua técnica melhore a cada dia e sua velocidade de leitura aumente gradativamente.
Para quem atua trabalhando por conta própria como freelancer, e em especial para os produtores de conteúdo da Internet, a leitura é uma atividade mais que necessária. E a leitura dinâmica torna-se uma técnica que ajuda muito, permitindo ao profissional aproveitar ainda mais o tempo disponível para sua atividade profissional.

Por meio da leitura, você aprofunda os seus conhecimentos e com isso, passa a ter mais condições para argumentar, além de ajudar no crescimento do seu repertório de assuntos relevantes, mantendo-se sempre mais atualizado.
Nem sempre temos condições de fazer uma leitura mais completa de artigos ou livros. Por esse motivo, a leitura dinâmica nos permite que retiremos as informações mais importantes de forma mais rápida e eficaz.
Se você ficou mesmo interessado neste assunto, então continue a leitura destes texto e aprenda a fazer, passo-a-passo, uma boa leitura dinâmica!

1. Inicie treinando os seus olhos para que eles dêem saltos maiores na leitura
Já reparou como ocorre o movimento dos olhos durante a leitura de um texto? A leitura se baseia no movimento de saltos. Nossos olhos ficam fixados em um ponto da linha e depois, saltam para um próximo ponto.
Quanto maior torna-se este salto, mais rapidamente se torna a nossa leitura. Pessoas iniciantes na leitura, como as crianças, conseguem saltar apenas uma palavra de cada vez. É por isso que elas demoram tanto para terminar uma linha.
Com isso, o primeiro passo para que você aplique a técnica da leitura dinâmica é treinar o movimento dos seus olhos para que este movimento seja bem mais amplo.

2. Controle sua ansiedade e siga sempre em frente na leitura
O segundo passo da leitura dinâmica consiste em controlar a nossa ansiedade. Sabe aquele pensamento que temos de que precisamos entender 100% do texto lido? Pois é! Sabia que se conseguirmos 80% da compreensão de um texto já seria algo maravilhoso.

Falando de uma outra maneira, todas as vezes em que você não compreender um texto lido, você não deve retornar ao começo da página, pois a releitura do texto pode tomar muito tempo, e isso é justamente precisamos evitar.
Até porque, podemos entender a ideia geral do texto, mesmo que alguns dos trechos do mesmo fiquem meio confusos de se entender.
Após finalizarmos a leitura do texto, podemos retornar às partes em que tivemos as dúvidas. Porém, se voltarmos constantemente aos textos lidos anteriormente, jamais terminaremos a leitura.

Uma outra dica muito importante é que você jamais pare a leitura para consultar o significado de uma palavra no dicionário. Se sua curiosidade pelo significado de uma palavra for muito grande, sugerimos que você a anote para posteriormente, buscar seu significado. Mas, não deixei seu texto de lado para folhear um dicionário, pois quando você retornar à leitura, levará ainda mais tempo para que retome o ritmo em que estava na leitura.

3. Você precisa parar de pronunciar as palavras do texto lido
O terceiro passo da leitura dinâmica é cortar uma prática que é bem negativa, que é hábito da maioria das pessoas: elas pronunciam as palavras enquanto as leem, seja mentalmente ou em alta voz.
O hábito citado acima impede o desenvolvimento de boa leitura dinâmica, pois significa que o leitor irá ler palavra por palavra e de forma lenta.

Com isso, sua velocidade diminui consideravelmente e por incrível que isso possa parecer, a sua capacidade de compreensão do texto também. Como nosso cérebro estará durante a leitura, muito ocupado com a pronúncia, você acabará não se concentrando muito no que está lendo. O resultado disso é que você acabará gerando a necessidade de reler o texto lido várias vezes, causando um retrabalho.

Se este for o seu caso (de estar muito acostumado a pronunciar tudo o que você lê), para perder este hábito danoso à sua leitura, o processo pode se tornar difícil e bem demorado. Sugerimos que o leitor coloque um lápis na boca enquanto lê o texto, forçando assim a não pronúncia do texto lido.

4. A técnica de skimming
O quarto passo na leitura dinâmica é o que chamamos “skimming”. Essa técnica, muito conhecida no inglês Instrumental, também é útil para uma leitura dinâmica em quaisquer idiomas.
Basicamente, o Skimming consiste em passar nossos olhos rapidamente pelo texto, com o objetivo de se extrair as informações mais básicas, como o índice, o título, o autor, a data de publicação, o assunto principal, os tópicos desenvolvidos nos textos, além dos gráficos e as imagens.

Para avaliar mais rapidamente qualquer texto, esta técnica é bastante útil, podendo então, definir-se se realmente vale a pena dedicarmos mais tempo a leitura completa do texto.
Se acaso você estiver pesquisando sobre um tema específico, o skimming lhe permitirá com que você identifique se um determinado texto ou artigo tem informações realmente relevantes sobre o tema buscado.

5. Usando a técnica de scanning
O “scanning” é uma outra técnica bastande usada no Inglês Instrumental. Consiste basicamente em passar os olhos pelo texto a ser lido para que com isso, possamos identificar as “palavras-chave”.
Suponhamos que iremos ler um artigo de vinte páginas sobre o tema Gestão de Pessoas, porém este assunto que você procura é sobre Produtividade.
Como as vinte páginas estarão falando de diversos assuntos que não lhe interessam, Neste caso não é preciso ler todas as páginas, porém somente aquela que se referirem ao assunto desejado.

Porém o indicado seria apenas folhear o texto em busca dos termos que tivessem relação direta a produtividade, como por exemplo, os termos: organização, tempo, concentração, etc.
Quando encontrado um destes termos, bastará que você só leia o trecho desejado. Desta forma, você obterá de forma mais rápida, as informações que sejam de seu interesse, pulando assim o restante.

6. Monitore o desempenho de sua leitura
Após você incorporar tudo o aprendeu nos 5 passos anteriores, sua evolução na sua leitura dinâmica vai passar a depender somente de muita prática. Porém, para que você saiba se a mesma realmente está funcionando, é preciso que acompanhe os seus progressos e resultados.

Para isso, neste passo, pegue um cronômetro e passe a monitorar quantas palavras você consegue ler por minuto. Um leitor comum lê em média, por volta de 150 palavras por minuto. Porém, um bom praticante das técnicas de leitura dinâmica pode ler até 800 palavras por minuto! :O

Contudo não monitore somente a velocidade da leitura, mas também o aproveitamento da leitura em si, ou seja, o quanto você conseguiu compreender, sem ter a necessidade de retornar ao texto lido uma segunda vez. Sua meta deverá ser uma média com o percentual de 80% de aproveitamento.

Se você ainda não conseguiu atingir as metas propostas neste artigo, não se preocupe. Quanto mais praticar, melhores serão os seus resultados na leitura.

TDAH e Dislexia: As grandes vilãs da educação infantil

O TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) atrapalha as crianças.

Enquanto o TDAH afeta na atenção, a Dislexia afeta a leitura; é importante fazer o diagnóstico certo o quanto antes, para tratar. É muito comum rotularmos crianças com dificuldades de aprendizado como “burras”. Porém, ir mal na escola ou ter dificuldades no aprendizado não significa que uma criança não tenha inteligência. Ela pode ser portadora de TDAH. A falta de concentração no estudo pode ser originada de dentro do cérebro, por um problema na comunicação entre os neurônios cerebrais.

Esta dificuldade de concentração é um problema bem conhecido da medicina e tem nome: é o chamado Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Existe tratamento:

Mas a boa notícia é que esse problema tem tratamento, basta a medicação apropriada e controlada diariamente. O transtorno TDAH foi tema do programa Bem Estar, que teve a participação dos psiquiatras Daniel Barros e Ana Escobar e da fonoaudióloga Adriana Pizzo Gabanini, que é especialista em Dislexia, um outro distúrbio neural que também causa problemas na hora de ler.

Os dois problemas, o TDAH e a Dislexia, têm em comum a sua origem neurológica. São transtornos formados por um mau funcionamento dos circuitos cerebrais e, além disso, ambos, se não forem tratados, podem acabar levando seu paciente à ansiedade e também à depressão. Porém, estes distúrbios também têm muitas diferenças.

O TDAH atrapalha de maneira mais ampla a vida dos portadores, que passam a não conseguirem mais manter o ter foco nas atividades mais rotineiras. Já a Dislexia é somente um transtorno de aprendizado, em que o paciente não consegue ligar os sons às respectivas letras.

O diagnóstico:

Atualmente, já é possível se diagnosticar o TDAH a partir dos 3 anos de idade, porém ele se manifesta de várias maneiras ao longo da infância. A criança com TDAH não consegue se concentrar em nada, nem mesmo na hora de sentar para assistir TV, diferente de um menino agitado, mas que, quando quer, concentra seu foco em uma única atividade.

Um estudo bem recente mostrou que o diagnóstico do TDAH necessita de ser mais bem feito. De quinhentas pessoas que haviam recebido um diagnóstico de TDAH, apenas vinte e três por cento eram portadoras. Já por outro lado, das crianças que deveriam realmente ter sido diagnosticadas, 58,4% nunca haviam sido identificadas com o transtorno.

O medicamento usado para controlar o TDAH é o metilfenidato. Ele é considerado eficaz e seguro, mesmo quando utilizado nas crianças, porém é um medicamento de tarja preta, ou seja, sua venda é controlada. O medicamento deve ser utilizado de forma ininterrupta, pela vida toda, pois ele controla o transtorno, mas não o cura.

Já no caso da Dislexia existe uma situação um pouco diferente.

O diagnóstico geralmente vem mais tarde, quando a criança está entrando na fase de alfabetização. A Dislexia não tem remédio, porém pode ser amenizada com treinamentos específicos. Normalmente o tratamento dura entre 2 e 5 anos.

O tratamento ajuda o paciente a relacionar formas e sons de maneira correta, amenizando o problema. Porém, segundo os médicos especialistas no assunto, a Dislexia não tem cura. O tratamento só ensina o paciente a conviver com o problema e superar suas próprias limitações.

Tanto o TDAH quanto a Dislexia, ambos possuem um diagnóstico difícil. Antes de se afirmar que a criança realmente possui o TDAH ou a Dislexia, é muito importante descartar os problemas auditivos e visuais e os problemas relacionados a lesões cerebrais e outras doenças psiquiátricas, como a ansiedade.